Berlin (Germany)

Cheguei à cidade vindo de Frankfurt. Fiquei por três dias e duas noites. A chuva fina não deu trégua. Me hospedei no excelente H2 Hotels da Alexanderplatz. Com o tempo ruim, tive pouca oportunidade de visitar lugares mais abertos. No geral, mesmo com a chuva, aproveitei e gostei muito da viagem.

O Muro de Berlim

Para não comprometer o primeiro dia, acabei pegando um daqueles ônibus de dois andares (hop-on-hop-off-bus) que custou por volta de EUR$ 15. O dia acabou rendendo bastante e consegui ter uma boa noção geográfica da cidade. Mesmo chovendo, consegui dar uma paradinha no Muro de Berlim, no Rio Spree e na parte externa do estádio que, na época, era chamado de "O2 Arena" e agora se chama Mercedes-benz Arena. Ainda chovendo, fui conhecer o Museu de Pérgamo. Foi a melhor coisa que fiz no primeiro dia de viagem. Uma maravilha. Não deixe de visitar. 

As planas e largas avenidas de Berlim


A cidade é moderna (pois foi quase que totalmente reconstruída depois da guerra). É também limpa, plana, clara (ruas largas e, dependendo da zona, sem prédios altos). Tem muita bicicleta (não tanto quanto em Amsterdam). Sobrou pouca coisa original depois da guerra. Mas muitos monumentos foram reconstruídos e restaurados. São lindos e, hoje em dia, muito bem conservados. Certamente um orgulho para a cidade. 

As placas fixadas ao Muro de Berlim

Foto acima retrata parte de uma placa fixada em um dos trechos do Muro de Berlim. Acredito que retrate a lápide de todo o império nazista. Em diversos cantos da cidade, existem placas como essa. Só que restam poucas partes do muro ainda de pé, uma vez que, após a derrubada em 1989, muita gente acabou levando para casa pedaços do muro "como lembrança". 

O Beijo da Morte

O Beijo da Morte. Muitas pessoas vem até o muro apenas para fotografar ou ser fotografado em frente à marcante obra. O artista "Vubrel" tinha apenas 29 anos quando deixou essa importante marca. Hoje em dia, a obra é um dos principais símbolos da queda da Cortina de Ferro


Bairro Judeu


As ruas mais estreitas, na área da Ilha dos Museus, são bem calmas. São poucos os carros. O Transporte Público de Berlin é eficiente, barato e limpo. Abuse! Não tive qualquer problema de locomoção. Usei muitos bondes, metrô (U-bahn) e ônibus. Mesmo não entendendo nada de alemão, deu para chegar onde pretendia. E não foi difícil. Usei os mapinhas impressos do quiosque de informações turísticas.  

Tampões de Serviços de Esgoto em Berlim 

Curiosidades de quem fotografa: Por todo o Leste Europeu, as tampas de bueiro são bem interessantes. Acredito que sejam feitas de alguma liga de cobre ou bronze, pois são esverdeadas. São verdadeiras obras de arte. Fiz diversas fotos desses objetos. Uma imensa variedade de tamanhos e formatos. Talvez, quem sabe um dia, eu faça uma coletânea de fotos sobre o assunto...

 
A Ilha dos Museus ao fundo. 

Ilha dos Museus. Um lugar imperdível que respira cultura. Organizado, limpo, muito bem equipado. Consulte a programação do museu que quer visitar na ilha. Só em Berlin existem mais de cinquenta museus. Em algumas datas a entrada é gratuita (consulte). Mas, mesmo pago, vale cada centavo. A arquitetura é magnífica e o acervo invejável. Não deixe de visitar a ilha. 

A Entrega do Museu de Pérgamo


Entrada do Museu de Pérgamo que fica (novamente) na Ilha dos Museus. Nunca vi tanta coisa bonita dentro de um único museu. Pérgamo foi inaugurado em 1930. Esse museu é simplesmente uma loucura. São 850 mil visitas/ano. Destaques: Antiguidades da Babilônia, Islâmicas, Sumérias, Turcas, Jordanianas, etc. Só visitando para saber do que se trata. Super-recomendo. 

Memorial do Holocausto

Visitar e caminhar dentro do Holocaust-Mahnmal é uma experiência quase que sufocante (mesmo estando em área totalmente aberta). O sobe e desce do piso e das colunas intrigam quem passa por dentro do labirinto. O visitante entra na obra (literalmente) e sente uma espécie de falta de ar. A coisa é intencionalmente claustrofóbica. Valeu a visita. Valeram as sensações. Recomendo. 

Bikes em Berlim

Berlin é a cidade com mais bicicletas na Alemanha. A coisa NÃO É tão doida como Amsterdam. Mas tome atenção, pois alguns ciclistas andam acelerados pela calçada. Algumas vezes a gente até se assusta... Acho que a cada 1.000 metros tem uma estação de bicicletas. A empresa que aluga as reluzentes bikes é a Berlinbicycle. Dá para consultar os preços e reserva online. Molezinha!!

O Bairro das compras. 


Berlin tem muitas atrações imperdíveis. Mas o espaço reservado para esta cidade no blog se esgotou. Deixei de lado uma infinidade de dicas bacanas, como por exemplo o Portal de Brandemburgo, o Checkpoint Charlie e a Ópera de Berlin. Para quem gosta de compras a Potsdamer Platz é o lugar ideal. Em tempo: Olha a foto da Brasuca Gisele Bundchen. Tão famosa lá quanto aqui. Vai jantar? Peça um Chopp ou uma Cerveja Dunkel e um Kassler ou Schinitzel

Sugestões: 
Antes de achar o transporte público caro, confira a qualidade.
Bar & Cerveja: Peça a cerveja ou chopp e pague na hora à Garçonete.
Bar & Jogo: Dia de Jogo é para beber e torcer. Nada de comer ou beliscar.
Pizzas: São comuns no almoço, individuais e bem grandes. Sim, uma pizza para cada um.
Almoço: Vá no Simples deles. Nada de inventar.
Comportamento: O povo parece grosso, mas não é não. São muito, muito legais. 
Eles tem uma cultura bem diferente da nossa. Sorria. Adapte-se. Respeite. Não encoste. 
Puxe conversa com um alemão (vai ter bom retorno e todo mundo fica feliz).
O que não pode faltar: Calçado confortável (vai andar muito)

Temperatura anual em Berlin
Melhor época para viajar: (Abril e Maio) ou (Outubro e Novembro). 

Oque e onde? 
Informações Turísticas em Berlin
Alugue uma Bike  Berlinbicycle
Visite a Ilha dos Museus
Dica de Hotel H2 Hotels Alexanderplatz

Data da Viagem: 2011 SEP
Cidade de Origem: Viena
Cidade de Destino: Nyregyhaza, depois Munich
Meio de Transporte: Ônibus, Bonde e Metrô.

Veja este vídeo da cidade de Berlin no youtube:




Nenhum comentário:

Postar um comentário